terça-feira, 1 de Maio de 2007

Hitler


Adolf Hitler nasceu a 20 de Abril de 1889 na localidade austríaca de Braunau am Inn. Sem concluir estudos, mudou-se em 1908 para Viena, onde o sonho de tornar-se pintor acabou por não conseguir ingressar na Academia de Belas-Artes. Durante sua permanência na capital austríaca, ganhou a vida pintando cartões e postais, enquanto absorvia as ideias nacionalistas e anti-semitas que mais tarde o levariam ao poder.
Em 1913 mudou-se para Munique, e um ano depois, quando eclodiu a primeira guerra mundial, alistou-se no exército alemão. Recebeu a guerra com entusiasmo e como um alívio para suas frustrações. Ferido duas vezes em combate, em 1916 e 1918, ganhou a Cruz de Ferro, importante condecoração militar Alemã.
Terminada a guerra, continuou vinculado ao Exército e, em Setembro de 1919, filiou-se ao Partido Alemão dos Trabalhadores, que, um ano depois, passou a chamar-se Partido Nacional-Socialista Alemão dos Trabalhadores, o partido Nazi. Em Julho de 1921, Hitler assumiu a chefia absoluta da organização, que continha elementos de diferentes categorias sociais e ideológicas, como veteranos de guerra, desempregados, anticomunistas e nacionalistas.
Em 1923, depois de os franceses ocuparem a região do Ruhr para assegurar o pagamento de indemnizações de guerra, Hitler dirigiu a conspiração conhecida como putsch de Munique. O movimento fracassou e Hitler foi condenado a cinco anos de prisão na fortaleza de Landsberg, embora só tenha cumprido nove meses de pena. Na cadeia, escreveu o primeiro volume de Mein Kampf (1925-1927; Minha luta), livro de propaganda nazi, no qual expôs suas principais ideias: o ódio aos judeus, a superioridade da raça ariana representada pelo povo alemão e a predestinação do líder dos alemães para impor o estado germânico sobre o resto do mundo.
Após recuperar a liberdade, Hitler dedicou-se a reorganizar o partido nazi e a prepará-lo para a conquista do poder pela via eleitoral.
Em 1929, a crise económica internacional afectou gravemente a Alemanha e provocou um crescimento das organizações comunistas. A classe média e os grandes industriais, alarmados, começaram a apoiar, até mesmo financeiramente, os nazis, que nas eleições de 1930 converteram-se na segunda força política do país, com mais de seis milhões de votos.
As organizações paramilitares nazis provocaram o terror e a destabilização política da república de Weimar. As contínuas demissões de chanceleres obrigaram o presidente Paul Von Hindenburg a convocar novas eleições para Julho de 1932. O partido de Hitler triunfou, com cerca de 14 milhões de votos. As acções terroristas aumentaram e, em Janeiro de 1933, Hindenburg nomeou Hitler chanceler. Em 27 de Fevereiro, ocorreu o incêndio do Reichstag, ateado pelos nazis mas atribuído por eles aos comunistas, pretexto para que Hitler assumisse poderes ilimitados.
Em 2 de Agosto de 1934 Hindenburg morreu, e Hitler nomeou-se presidente, comandante supremo das forças armadas e Führer do Terceiro Reich. Nos anos seguintes, seu governo perseguiu todos os grupos opositores, sobretudo os marxistas e os judeus. Criou uma poderosa polícia política, a Gestapo, e ordenou a construção de numerosos campos de concentração. Organizou, ao mesmo tempo, uma avançada indústria de guerra que converteu a Alemanha no país mais bem armado da Europa. Tornou-se muito rico mas levava uma vida religiosa.
Após a consolidação do poder, Hitler pôde dedicar-se à conquista de seu sonho político: a expansão do Terceiro Reich pela Europa. Depois do plebiscito de união do Sarre à Alemanha, da anexação da Áustria e da ocupação da Checoslováquia, o ataque à Polónia provocou a declaração de guerra por parte do Reino Unido e da França. Os dois primeiros anos da segunda guerra mundial foram favoráveis à Alemanha; mas o ataque à União Soviética em Junho de 1941 marcou, depois de grandes vitórias iniciais, uma mudança decisiva na balança militar. Os soviéticos resistiram à invasão do Exército alemão, o qual, a partir de 1942, e sobretudo depois da entrada dos Estados Unidos no conflito, sofreu enorme desgaste nas diversas frentes.
Em Julho de 1944, Hitler ficou ligeiramente ferido num atentado perpetrado por um grupo de militares e desde então isolou-se ainda mais. Em Janeiro de 1945, quando a derrota da Alemanha era só uma questão de tempo, começou a apresentar sinais de senilidade, talvez loucura, e refugiou-se com a mulher, Eva Braun, no Bunker da chancelaria em Berlim. Ali se casaram, em 29 de Abril de 1945. No dia seguinte, quando tropas soviéticas já tinham penetrado em Berlim, ambos se suicidaram. De acordo com as suas ordens, os dois corpos foram encharcados com gasolina, queimados e enterrados nos jardins do quartel-general nazi.

1 comentário:

Anónimo disse...

lalala é mto texto, uma seca